Gestão de risco em TI: entenda como fazer uma avaliação

Gestão de risco em TI

A gestão de risco em TI é um processo corporativo essencial para qualquer empresa. Por meio dele, é possível realizar ajustes em sua estrutura corporativa, implementar novas soluções, utilizar indicadores para avaliar a eficiência da organização e atenuar riscos para que o negócio possa atingir seus objetivos com qualidade e excelência.

Para que a gestão de risco seja realizada de forma planejada e traga benefícios reais para a empresa, é preciso adotar algumas ações. Confira agora quais são elas:

Definir o contexto

Para realizar uma gestão de risco eficaz, é necessário definir o panorama da empresa, visualizando seus problemas e definindo os principais padrões de avaliação adotados. Afinal, cada organização possui uma política de trabalho e atua de forma diferente na hora de definir o seu próprio contexto.

Identificar os ativos

Na gestão de riscos de TI, é essencial explicitar e avaliar quais ativos de informação serão considerados. Por isso, procure identificar e delimitar aqueles que de fato serão utilizados como parâmetros.

Para isso, analise bem cada situação. Na hora de repensar novas normas e políticas de segurança para evitar perdas, vazamentos ou roubos de informação, por exemplo, um servidor pode ser considerado um ativo, assim como a infraestrutura de TI instalada na empresa.

Fazer um escopo para a gestão de risco em TI

Depois das duas primeiras etapas, é hora de definir seu escopo. Nesse momento, defina os conjuntos de controles e normas que a empresa deseja considerar para fazer a gestão de risco, especialmente ao especificar a abrangência de ameaças que devem ser consideradas para saber se a gestão está funcionando conforme planejado anteriormente ou não.

Em caso de resposta negativa, o mais indicado é rever as políticas de segurança e adotar novas normas para evitar ou mitigar os riscos na área de TI, visando sempre proteger os dados e informações confidenciais da empresa.

Definir critérios a serem utilizados

Para fazer uma gestão de risco em TI eficiente, o responsável pelo setor deve definir, de forma objetiva, quais serão os critérios utilizados para a avaliação, como:

  • O efeito de uma vulnerabilidade do sistema;
  • Verificação da efetividade dos controles adotados;
  • Priorizar os riscos mais perigosos e trabalhar para a redução dos mesmos, para gerar maior confiabilidade e diminuir o risco.

Outros critérios de avaliação também podem ser adotados, desde que sejam bem planejados. Aqui, o objetivo é visualizar a sua situação da empresa como um todo, utilizando a gestão para implantar melhorias e colher resultados.

Mensurar e divulgar os resultados

Medir e demonstrar a efetividade da gestão de risco em TI é a parte mais visível do processo, e é por meio desses dados que os superiores terão acesso aos principais resultados dessa atividade. Essa etapa é essencial, pois é aqui que a diretoria da empresa vai validar ou solicitar alterações.

Após a aprovação, é importante que o gestor de TI divulgue os resultados da avaliação para todos os colaboradores, de acordo com o grau de sigilo de cada setor.

Uma boa gestão de risco em TI é um processo de correção e aperfeiçoamento de estratégias para trazer maior segurança para a empresa e que afeta diretamente o relacionamento com os clientes e valoriza a organização frente ao mercado.

Gostou do artigo? Deseja receber outros conteúdos como esse diretamente na sua caixa de e-mail? Então assine agora mesmo a nossa newsletter e fique sempre atualizado!

 

Assine nossa newsletter!