Saiba como aumentar a segurança de dados com a criptografia

como aumentar a segurança de dados com a criptografia

A criptografia tornou-se fundamental para a computação moderna e o fortalecimento de políticas de segurança de dados. Afinal, o crescimento de atividades que são executadas na web cresceu junto com a quantidade de ameaças digitais e técnicas para captura de informações.

Diante disso, especialistas em tecnologia criaram ferramentas complexas, que protegem dados de acesso não autorizado, garantindo a segurança e a privacidade do usuário.

Em geral, os algoritmos de criptografia modernos são baseados em duas técnicas: a criptografia simétrica e a assimétrica. Quer saber mais sobre elas? Então confira o nosso post de hoje! 

O que é criptografia

As técnicas de criptografia podem ser definidas como um conjunto de rotinas para impedir o acesso não autorizado a informações privadas. Em computação, esse termo é utilizado para classificar algoritmos que “embaralham” dados a partir de regras que, no geral, utilizam cálculos matemáticos para criar a chave de criptografia (responsável por manter mensagens codificadas).

Nesse sentido, um algoritmo de criptografia de alta performance não só protegerá arquivos com uma técnica complexa, como também garantirá que todos os registros possam ser enviados sem que ocorram problemas em sua integridade.

A criptografia moderna tornou-se fundamental para a criação de vários serviços. Comunicações em aplicativos de mensagens, transferências monetárias em ATMs ou mesmo o envio de e-mails estariam em grande risco caso fossem feitos por canais seguros. Mas, graças aos algoritmos modernos, esse tipo de atividade pode ser feita com um padrão de segurança elevado.

Como a criptografia simétrica funciona

Também chamada de criptografia de chave privada, essa é uma das técnicas mais tradicionais e conhecidas de se codificar registros eletrônicos. Ela utiliza uma chave de decodificação secreta, que pode ser um número, palavra ou mesmo uma sequência alfa numérica para criptografar ou descriptografar qualquer informação.

Essa chave deve ser conhecida tanto por quem envia quanto por quem recebe os dados, o que pode reduzir a sua eficiência na capacidade do usuário impedir o acesso não autorizado a sua mensagem.

Como a criptografia de chave pública funciona

Os algoritmos de criptografia de chave pública, também conhecidos como criptografia assimétrica, foram criados para resolver a principal falha da criptografia simétrica.

Essa técnica utiliza duas chaves para codificar as informações enviadas e recebidas: uma (a pública) permite que qualquer pessoa possa enviar uma mensagem para um dispositivo em segurança; a outra (privada) é mantida em segredo, uma vez que ela é utilizada para descriptografar dados.

A criptografia simétrica trouxe um grande avanço para os sistemas de comunicação segura. Hoje, as chances de um protocolo de segurança baseado em criptografia simétrica ter a sua criptografia quebrada diminuíram drasticamente.

Como os algoritmos de segurança modernos utilizam chaves com mais de 256 bits, a quebra por força bruta tornou-se virtualmente impossível.

Tornando a sua política de segurança de dados mais segura

No ambiente corporativo, a criptografia pode ser implementada em várias rotinas. Na navegação web, por exemplo, o navegador pode ser configurado para sempre utilizar conexões https, que são codificadas para garantir o transporte seguro de dados.

Além disso, caso a conexão seja pública, o dispositivo pode utilizar uma VPN (Virtual Private Network) para que mesmo os sites sem suporte ao protocolo https tenham a sua navegação protegida.

Quem precisa migrar informações de alto valor entre dois equipamentos ou armazena dados importantes localmente, seja em notebooks, celulares ou tablets, pode criptografar o sistema de arquivos do dispositivo.

Isso pode ser feito por meio de ferramentas nativas, como ocorre no Windows 10, Android, iOS, algumas distribuições Linux e no Mac OS, ou mesmo ferramentas de terceiros. Dessa forma, os registros são protegidos contra acesso não autorizado ou técnicas de ataque.

Em geral, grande parte das ferramentas modernas que utilizam dados privados já contam com processos que criptografam as transferências de informações via web, garantindo a privacidade de seus usuários.

Ainda assim, busque sempre avaliar as opções de segurança de cada aplicativo, definindo regras que sejam adequadas ao seu perfil de uso e que tornem a política de segurança da sua empresa robusta e confiável.

Gostou do nosso post e quer receber mais dicas sobre tecnologia e segurança digital em primeira mão? Então assine já a nossa newsletter!