Armazenamento na nuvem: 5 maiores erros cometidos na implantação

Armazenamento na nuvem

A realidade da computação em nuvem veio para ficar. Por ser uma tecnologia que atende empresas de qualquer porte, tornou-se uma tendência utilizar os serviços fornecidos por terceiros especialistas no assunto.

É seguro observar que migrar para o armazenamento na nuvem traz vantagens para toda organização, mas isso não quer dizer que tudo ocorrerá de forma perfeita. Esse processo exige algumas precauções. 

Veja abaixo os maiores erros que podem ser cometidos e a melhor forma de evitá-los! 

1. Migrar de forma apressada

A pressa é uma inimiga em todos os setores da TI, e na migração para a nuvem não é diferente. Definir prazos insuficientes para as etapas do processo pode fazer com que todos sejam pegos de surpresa com o novo cenário.

Se não houver tempo para planejar de forma adequada, os demais erros vão aparecer como uma bola de neve, e todo o trabalho será feito de forma ineficiente e ineficaz.

Para que isso não ocorra, escolha os melhores fornecedores do serviço. Eles contam com times de especialistas que ajudarão informando corretamente quanto tempo cada passo da implantação demorará.

2. Não pensar nas necessidades do negócio

Uma das vantagens do armazenamento em nuvem é a integração de serviços e a atualização instantânea de informações. Nesse caso, é importante saber quais são os serviços que realmente agregam valor ao negócio — para que o custo da tecnologia seja coerente com o retorno esperado.

Na hora do planejamento, todas as áreas da empresa devem ser consultadas, desde a diretoria até usuários. Com diversas perspectivas sobre os fluxos de trabalho, as escolhas na hora de contratar serviços na nuvem tendem a ser mais precisas.

3. Gerenciamento de segurança falho

Os pilares da segurança da informação são disponibilidade, confiabilidade e integridade, e devem ser seguidos durante e após o processo de implantação. Negligenciar a segurança é um dos erros mais graves que se pode cometer: é oferecida uma margem considerável para o fracasso.

Ter uma etapa de homologação é uma ótima prática para evitar esse problema, pois as validações são o momento certo para corrigir falhas críticas na segurança — assim como uma equipe de governança de segurança da informação cuidando disso aumenta a probabilidade de sucesso!

4. Não preparar a equipe para o armazenamento em nuvem

Um novo cenário de trabalho exige uma visão treinada dos colaboradores. Com a implantação da computação em nuvem, todos devem estar cientes de que a TI também passa a ser um serviço oferecido (e não mais uma área de total responsabilidade da empresa).

A integração dos aplicativos deve ser bem utilizada, pois de nada adianta gastar com a nuvem se os usuários continuarem usando programas offline. Ter pelo menos um curso interno e um manual preparado pela TI são boas formas de capacitação para a nova realidade.

5. Não ter um Service Level Agreement (SLA)

O SLA é um contrato onde são descritas as obrigações do fornecedor e da equipe interna de TI de forma clara e objetiva. Ele é essencial para a qualidade do serviço prestado e para proteger ambas as partes, expondo resultados esperados, prazos de atendimento estabelecidos e responsabilidades pelos demais assuntos.

Não ter um SLA (ou ter um mal feito) é um problema gravíssimo, e deve ser evitado a qualquer custo.

Escolher uma empresa de confiança para prestar o serviço é o primeiro passo. Deve haver encontros para se discutir o contrato de forma detalhada, e os envolvidos precisam ser colaboradores atenciosos e críticos — para que não ocorram falhas prejudiciais no longo prazo.

A tendência é que a migração para o armazenamento em nuvem seja cada vez mais presente. Essa é uma ótima notícia, dadas as diversas vantagens de se usar essa tecnologia, mas todo processo tem seus percalços.

Para realizar esse tipo de implantação, a empresa tem que se assegurar de que tomou todos os cuidados possíveis para minimizar os problemas que serão encontrados. Isso envolve todos os tópicos citados acima — e mais ainda, pois o planejamento deve ser feito de forma consistente e completa.

E você? Já passou ou deseja passar por um processo de implantação de computação em nuvem? Deixe seu comentário e nos conte sobre sua experiência no assunto!