3 passos para calcular o ROI do setor de TI em sua empresa

ROI no Setor de TI

Calcular o ROI (Return On Investment) de uma gestão de Tecnologia da Informação tem sido cada vez mais importante para os gestores, visto que são muito cobrados para reduzirem os custos e precisam apresentar resultados nas reuniões.

Para confirmar esse retorno em dados e números estatísticos, o gestor deverá demonstrar em quais setores esse investimento oferece resultados palpáveis, meios de armazenamento e comunicação mais eficientes e se o cliente está realmente recebendo o que foi prometido.

E como aplicar esse cálculo? Vamos esclarecer essa dúvida em 3 passos simples. Confira!

1. Leve em consideração os fatores essenciais para essa implementação

Além de saber como aplicar esse cálculo, para calcular o ROI de uma Gestão de TI é preciso levar em consideração certos fatores, como o tempo gasto com a sua implementação e os resultados em longo, médio e curto prazo desse tipo de investimento.

É importante entender também que esse retorno deve ser baseado em situações concretas e não apenas subjetivas (como adequações a meros padrões de cálculos, sensação subjetiva de melhorias no setor de TI, etc.). Os custos totais da implementação do cálculo do ROI devem ser bastante precisos.

Além disso, o setor de Gestão de TI deverá receber algumas respostas, como quanto tempo será preciso para que esse investimento se pague e em quais setores essas respostas serão possíveis — não se esquecendo de desenhar possíveis falhas nesse investimento.

2. Algumas métricas utilizadas para calcular o ROI de uma Gestão de TI

Não existem métricas exatas para a obtenção desse tipo de resultado. No entanto, alguns recursos como especificar antecipadamente os custos e lucros que se pretende obter em um período não inferior a 3 anos; a taxa interna do ROI, o Balanced Scorecard (que traça uma relação entre o planejamento de uma empresa e as suas reais capacidades, baseando-se na sua área de atuação) são algumas das métricas mais utilizadas para calcular o ROI de uma Gestão de TI.

Com base nessas medições, o gestor poderá saber de que exatamente necessitará para obter resultados objetivos e o que fazer para mudar as estratégias desse tipo de investimento.

3. Adapte o ROI ao setor de TI

O setor de TI envolve, além do desempenho de cada colaborador, detalhes relacionados à infraestrutura — que é um fator essencial. Com essa diferença perante áreas como a de Contábeis, Finanças e Marketing, uma adaptação é necessária para que se possa calcular corretamente o ROI.

A base do cálculo deve considerar o número de falhas e o tempo perdido com a indisponibilidade do sistema. Por quê? Porque assim será possível calcular, por exemplo, a quantidade de horas pagas aos colaboradores no momento em que estiveram impossibilitados de realizar suas atividades.

Exemplo: para mensurar o ROI de um funcionário, deve-se, primeiramente, somar os custos que a empresa tem com ele — salários, tributos e demais custos — , dividir o valor pelo total de dias no mês em questão e, por fim, dividir pela carga horária.

Com esse cálculo será possível obter o valor bruto que a empresa paga por hora a cada colaborador. E para saber os custos que a empresa teve em decorrência de falhas e indisponibilidades, basta somar a quantidade de tempo pelos custos/hora de cada funcionário afetado.

Não hesite em fazer mudanças quando os resultados forem insatisfatórios

Esse tipo de atitude — substituir os atuais produtos de software por outras soluções do mercado, por exemplo — também facilita o trabalho de cálculo do ROI de uma Gestão de TI, pois o investimento deverá ser um facilitador para a implementação de projetos maiores.

A implementação de um novo sistema ERP, por exemplo, não poderá demorar muito a devolver o que foi gasto com a sua implementação, sem contar que deverá ajudar a aumentar a produção e diminuir os custos da Gestão de TI.

Quer ficar por dentro das nossas novidades e ter acesso a outros conteúdos? Siga a Polo iT no Facebook e também no LinkedIn!